Novas urnas eletrônicas usam Linux e biometria



Realmente o Brasil está anos-luz à frente de todo o mundo: além de utilizarmos urnas eletrônicas, agora todas elas estão rodando o sistema operacional Linux e, em três cidades escolhidas para testes, as urnas tambêm possuem leitor biométrico.

Giuseppe Dutra Janino, tecnologia da informação do TSE, disse que essas mudanças fazem parte do projeto para “melhorar a segurança e a transparência do processo”. Além disso, ele ressaltou que, nos 12 anos em que o Brasil já usa urnas eletrônicas, nuna ocorreram fraudes no processo eleitoral.

A troca dos sistemas operacionais VirtuOS e Windows CE pelo Linux foi feita por questão de economia, transparência no processo (agora a OAB e os partidos políticos podem abrir os códigos de programação das urnas) e também pelo Linux ser robusto e seguro.

As cidades escolhidas para testarem as urnas com leitor biométrico foram Fátima do Sul (MS), São João Batista (SC) e Colorado do Oeste (RO). O recurso deve se estendido a todo o país entre 5 a 10 anos.




6 Comentários em “Novas urnas eletrônicas usam Linux e biometria”

  1. Fabrízio 23 setembro 2008 at 20:20 #
    Mesmo assim, desconfio de que haja algum jeito de fraudar a urna.

    Engraçado que para eleição, aparenta ser tudo moderno. O que naum moderno eh a administração dos eleitos.


Deixe um Comentário